sexta-feira, 27 de maio de 2011

DESAPROPRIÇÃO DA FAZENDA DO JOSÉ ROBERTO

Apesar da notícia já ter circulado na cidade, este blog esperou até hoje para falar da avaliação feita pela pelos peritos do Tribunal de Justiça no terreno que a prefeitura desapropriou para a construção do cemitério municipal e casas populares. Esperei porque tinha a esperança que o blog do PV publicasse o fato. Isso porque na época foi dito o seguinte, naquele blog:

"O que se comentou em setembro de 2008 é que o terreno havia sido comprado (compromisso de compra e venda) pelo valor de R$ 220.000,00 e que seria vendido pra a PMM. O fato se concretizou pelo valor acima mencionado em 1º de julho. Foi um lucro de R$ 180.000,00 e, em menos de 1 ano e 8 meses. O que sabemos é que R$ 380.000,00 vieram do governo do estado e R$ 20.000,00 é a contrapartida da PMM." (copiado do blog do PV do dia 2 de julho de 2010).

Ou seja, para quem sabe ler, um pingo é letra. Eles insinuaram com esta e outras afirmações sobre o mesmo tema, que a compra do terreno não teria sido efetuada de forma correta. E mais, insinuaram que o valor teria sido exorbitante.

Pois bem, a notícia agora é a seguinte: FORAM FEITAS VÁRIAS AVALIAÇÕES DO TERRENO (inclusive pelo Ministério Público Estadual), TODAS GIRANDO PRÓXIMO DOS R$ 400 MIL QUE A PREFEITURA OFERECEU ATRAVÉS DE PROCESSO NA JUSTIÇA. Importante observar que a compra não foi feita direto com os proprietários, mas sim, através de processo judicial. E o dinheiro está sendo liberado por ordem de um Juiz de Direito, com parecer favorável do Ministério Público.

Na semana passada, porém, chegou a avaliação do TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Sabe qual o valor? R$ 490 mil. Pensei que o PV fosse fazer justiça e publicar a notícia no blog deles. Mas me enganei. Não publicaram. Nem deverão publicar. Porque a verdade nem sempre interessa a eles. E se quiserem me atacar, me ofender, fiquem à vontade, já estou esperando mesmo. Mas nada disso restituirá o que há muito tempo vocês não têm....

4 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns Dr. José Souto! é assim que se faz, vamos mostrar a todos que vivem insinuando que no nosso governo não tem ninguém sério e comprometido com nosso município, aí está a resposta, será que alguém vai à cârama de vereadores para questionar esta matéria?
Vamos aguardar!
Que venham os mentiroso de plantão.

Anônimo disse...

Sei não,mas acho q o blog do pv deveria publicar esta informação.

Josiane Siqueira disse...

Nunca duvidei q a compra estava correta. Esse processo eu já tinha visto. Soube que tem avaliação feita pelo Fabricio Barros e pelo Wagner, é verdade?

Josiane

Miracema disse...

Cara JOsiane,

Realmente. Antes de propor a ação, nós pedimos uma avaliação às duas maiores imobiliárias da cidade: Fabrício Furtado Barros e Wagner. Ambas apontaram para a média de R$ 400 mil.
Ainda tivemos uma avalição feita por uma comissão formada por servidores efetivos da prefeitura (José Alfredo - engenheiro e Geraldo André - engenheiro, mais o Sebastião - contador, representando a comunidade miracemense). Todas apontavam para valores próximos (alguns maiores) que o valor ofertado na ação judicial.
Ou seja, antes de oferecer o valor, a prefeitura foi muito cautelosa. Porque a lei exige apenas a avalição dos próprios servidores da prefeitura.

abçs

José Souto Tostes