quarta-feira, 15 de junho de 2011

EXCLUSIVO:DRM FALA SOBRE FENDA GEOLÓGICA DE MIRACEMA


O blog enviou algumas perguntas ao presidente do DRM/RJ, geólogo Flávio Erthal, versando sobre o tema fenda geológica. O DRM é um órgão público Estadual responsável pelos problemas geológicos do Rio de Janeiro. Eles emitiram um relatório sobre a existência de uma fenda geológica em Miracema e agora respondem as questões sobre o tal relatório, que chegou a ser contestado na Câmara Municipal recentemente. As casas localizadas na área da fenda, estão interditadas pela Defesa Civil Municipal de Miracema. As respostas são do próprio Flávio e do também integrante do DRM, Cláudio Amaral:

1) Quais são as atividades do DRM?

Temos atribuição principal de geração e difusão de informações sobre geologia, mineração e o meio físico, como um Serviço Geológico Estadual. Em Miracema, nossos últimos trabalhos foram relacionados à análise de Risco Iminente a Escorregamentos nos pontos, setores e áreas de risco indicadas pela Defesa Civil Municipal. Para este serviço, constituímos, em 2009, um Núcleo de Análise e Diagnóstico de Escorregamentos e estamos fazendo o mapeamento das áreas de risco a escorregamentos de encostas nos municípios fluminenses. Ainda hoje estamos com uma equipe reduzida, que vai ser ampliada com os novos profissionais selecionados através de concurso público (9 geólogos, 4 geógrafos e 2 engenheiros especializados).

2) Recentemente causou polêmica em Miracema a divulgação de resultados de uma pesquisa do DRM que indicava a existência de uma fenda geológica na cidade, atingindo ruas e bairros localizados na zona central do município. O laudo chegou até a ser contestado, sob o argumento de que a fenda é causada por que foi construído um muro de arrimo próximo ao Cemitério Municipal. É possível que esta fenda tenha origem num único muro, erguido no final de 2010? Há tempo para isso, sendo que o laudo é datado em fevereiro de 2011?

“A fenda geológica na cidade” é, na verdade, um conjunto de trincas de abatimento no terreno setor da encosta.... Estas trincas indicam a movimentação de massa ao longo de uma ou mais superfícies de ruptura. Elas são acompanhadas por trincas de recalque em diversas casas da encosta. Não parece, a priori, que haja relação entre o início do movimento e a construção do muro do cemitério, mas esta é uma possibilidade que pode ser investigada. No momento, o DRM está mais preocupado com as ações para reduzir o risco iminente e, para isto, é fundamental que o conteúdo do seu Laudo Técnico seja considerado de maneira definitiva nos planos da Prefeitura Municipal.


3) Quais são as causas dessa fenda, então?

Independentemente da questão do muro, as causas principais envolvem a presença de uma capa de aterro e a própria forma da encosta. A presença de bananeiras também é um indicativo da potencial instabilização do materiais geológicos na encosta.

4) A Prefeitura interditou casas localizadas na área da fenda, esta é uma medida correta?

Sim, extremamente correta e necessária.


5) Podem ser executadas obras para conter a fenda? Essas obras teriam custo elevado ou são de pequeno porte?

Sim, há vários tipos de obras adequadas para a estabilização da encosta. Trata-se, contudo, de obras caras e de porte médio. O DRM não define estes custos, mas somente indicações de soluções que precisam ser orçadas pelos engenheiros.


6) O sr. afirma, em ofício enviado ao prefeito (065/2011), que existem áreas de muito alto risco em Miracema. Isso significa que essa fenda ou esse desastre pode aumentar com o passar do tempo?

Há, sem dúvida, outros pontos e setores de risco iminente em Miracema, que estão a exigir ações de prevenção e emergenciais da Prefeitura. Quanto às trincas no terreno da encosta, as mesmas podem e devem evoluir sempre que ocorrerem chuvas mais intensas que ampliem a infiltração e a elevação do nível d’água no local, daí a importância do seu monitoramento. Esse é um exemplo da necessidade das prefeituras se organizarem nessa área, com o DRM dando suporte técnico.

2 comentários:

Otto Guilherme Moura disse...

Amigo José, a situação é crítica conforme a avaliação do técnico, e a Prefeitura necessita com urgência urgentíssima tomar uma providência, antes mesmo que aconteça uma catástrofe. O aviso foi dado pelo CRM, agora mãos à obra.
abs

Miracema disse...

Caro Otto,

Na medida do que é possível, todas as medidas estão sendo tomadas. Primeiro um levantamento da verdadeira extensão do desastre, depois a elaboração dos projetos de engenharia, apresentação deles aos órgãos federais e estaduais, depois aprovação de verbas, para, enfim, iniciarmos as obras.

A área já foi interditada pela Defesa Civil e na medida que as casas forem sendo construídas, os moradores dessas casas serão destinados para lá.

abçs

José Souto Tostes