quarta-feira, 30 de junho de 2010

PADUANOS QUEREM ACABAR COM PEDRA MIRACEMA


Essa semana um grupo de empresários paduanos avançou buscando o registro de um novo nome para o mineral conhecido, em todo o Brasil, como pedra Miracema. A notícia que nos chegou de forma oficiosa, foi confirmada agora pelo Diretor do DRM, Flávio Erthal. Leia a notícia distribuída pelo DRM:

"Os empresários de pedras decorativas da região de Santo Antônio de Pádua e Noroeste Fluminense, reunidos em torno do Sindicato de Extração e Aparelhamento de Gnaisses do Noroeste do Estado do Rio de Janeiro – Sindgnaisses, protocolaram junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI a solicitação de Indicação Geográfica – Denominação de Origem para três tipos de rochas características da região. A solicitação foi entregue no último dia 23 de junho, na sede do INPI, no Rio de Janeiro e contempla a pedra madeira (Região Pedra Madeira Paduana); a pedra cinza (Região Pedra Cinza Paduana) e a branca com pintas (Região Pedra Carijó Paduana). O objetivo do projeto é agregar valor e credibilidade ao produto/serviço do setor de rochas ornamentais da região Noroeste Fluminense através da caracterização do seu local de origem de extração e produção, conforme a lei nº 9.279/1996 de propriedade industrial e a resolução INPI nº 075/2000 – Indicação de Procedência ou Denominação de Origem. O projeto foi viabilizado pelo Sebrae (Nacional e Rio de Janeiro) e teve a execução técnica do DRM-RJ / Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro, com apoio da Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro – Redetec. Na sua essência, a Denominação de Origem Protegida consiste na utilização do nome de uma região ou localidade, ou em casos excepcionais de um país, para designar um produto dela originário cujas características são devidas ao meio geográfico específico, aí se compreendendo os fatores naturais e humanos. O uso de uma tal denominação confere aos seus detentores um direito específico de propriedade industrial, sobrepondo-se e eliminando qualquer marca que utilize ou evoque a mesma designação. No caso de Pádua e vizinhanças, os critérios utilizados são geológicos, que conferem à rocha características únicas e delimitáveis no território."

A bem da verdade, trata-se de tratamento desigual dispensado pelo SEBRAE, que por questões políticas, ampara Pádua e esquece de Miracema, sempre. Mas os paduanos agiram rápido. Estão defendendo seu patrimônio.

É caso para uma reação imediata dos miracemenses. Empresários e Poder Público.

2 comentários:

Anônimo disse...

Quero ver os pseudo defensores de Miracema colocarem a cara na reta.

Acordai-vos!!!

Ou vocês só querem fazer política contra o atual prefeito?

Paulo Antunes

soutotostes disse...

DR JOSE

NÃO CONSEGUI MANDAR VIA BLOG

SOBRE A QUESTÃO DA "PEDRA MIRACEMA" COMO É DO INTERESSE DO MUNICÍPIO E SEUS EMPRESÁRIOS SUGIRO IMPUGNAR NO INPI

MUNDINHO