quarta-feira, 23 de março de 2016

ADILSON DUTRA, O MIRACEMENSE BOLA DE OURO - Ademir Tadeu

Escrevi essa crônica no ano passado, quando o nosso conterrâneo e amigo Adilson Dutra completou 30 anos de sua mudança definitiva para a cidade de Campos.
Durante quase todos esses anos, dividindo a sua paixão pelo rádio com o seu emprego de bancário, escreveu uma linda história na imprensa esportiva campista, tanto no rádio como no jornal, o que também havia feito aqui em Miracema, liderando a equipe de esportes da Rádio Princesinha do Norte, a partir de 1982. Equipe essa que foi vanguarda nas transmissões em outras cidades, acompanhando jogos no Maracanã, Niterói, Campos, Itaperuna e outras da região. Trabalhou também, por um breve período, na Rádio Feliz, de Santo Antônio de Pádua.
Em Campos teve a oportunidade de trabalhar nas principais emissoras de rádio da cidade, tais como: Difusora, Cidade, Continental, Cultura, Diário FM, entre outras. Na imprensa escrita, trabalhou na “Folha da Manhã”, como editor de esportes, em “A Cidade”, como redator e colunista e no “Diário NF”, como colunista.
No ano de 1987 foi agraciado com o Troféu Bola de Ouro do rádio esportivo no Brasil, quando trabalhava na Rádio Cidade. O prêmio era organizado pelo jornalista José Jorge de Souza – que morreu em 2014 – e patrocinado pela FIFA. A primeira edição ocorreu em 30 de março de 1972, no Rio de Janeiro.   Para se ter uma idéia de sua importância no meio, o evento tradicional homenageava os destaques do ano no rádio, jornal e televisão em todo o Brasil. Era considerado “O Oscar da Comunicação Esportiva”.
A conquista só veio coroar e mostrar toda a sua importância para a imprensa esportiva de Campos e de todo o estado do Rio. O prêmio Bola de Ouro não é para qualquer um, ainda mais sendo para um repórter de uma emissora do interior do estado, que disputou com colegas das principais rádios dos grandes centros.
Fique sabendo, meu caro amigo, você faz parte do seleto grupo de personalidades de nossa cidade, mesmo que não reconhecido por alguns, mas os seus verdadeiros amigos, que são muitos, sabem dar o merecido valor por todos os obstáculos vencidos pela sua capacidade de passar por cada um deles. E foram muitos, pois conheço algumas histórias.

Mesmo estando afastado do rádio, temos o prazer de ler o que você escreve no seu blog e na coluna do jornal Dois Estados, transportando para os seus textos toda a sua emoção e o amor por aquilo que faz e, por sinal, muito bem feito! Além de parabenizá-lo, quero agradecer por sua amizade e que continue por mais trinta anos contando histórias e mais histórias...  

4 comentários:

lenine nunes disse...

Meu eterno amigo PENACHO.

Adilson Dutra disse...

Chorei, sorri e emoções eu vivi. Obrigado, amigo leal e camaeada.

Adilson Dutra disse...

Lenine, parceiro e amigo

Yussef Damian disse...

É claro que tudo que foi dito por você Ademir espelha o meu sentimento pelo Adilson Dutra, mas além de tantas qualidades uma em especial me encanta, o prazer e alegria que fala, divulga, defende e vibra por nossa Miracema. Grande abraço Ademir e parabéns pela homenagem, ele realmente a mereceu.